quarta-feira, 18 de março de 2015

O paradigma da batota

O antigo árbitro internacional Pierluigi Collina apresentou a agremiação corrupta como o exemplo de batota nas bolas paradas, usando bloqueios ilegais que devem ser sancionados.

A este respeito, recordamos as palavras do técnico Vitor Pereira.

terça-feira, 17 de março de 2015

Lito Vidigal não compactua com subserviências à agremiação corrupta

Lito Vidigal bate com a porta na semana em que foi tornada pública a venda à agremiação corruupta de dois jogadores do Belenenses em data próxima de ambas as equipas se defrontarem para a Liga nacional.
Esta venda é mais um exemplo da subserviência de alguns clubes à agremiação e dos meios que esta utiliza para chegar aos seus fins.

Louvamos a atitude do treinador Lito Vidigal em não compactuar com esta situação.

O penalti mais ridículo de sempre ?

Baldé, jogador da equipa de sub-19 da agremiação corrupta, proporciona um bom momento de humor ao marcar de forma ridícula a grande penalidade.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Arouca perde 4 jogadores para a próxima jornada

E adivinhem lá com quem vai o Arouca jogar ....

* agradecemos a correcção

Enzo regressa

E logo com um amarelo. Como há pouco tempo recordamos, Enzo esteve já suspenso por acumulação de amarelos.
Assim, desde que foi para Espanha já conta com 6 amarelos em 8 jogos, ultrapassando já o número de cartões que lhe foram apresentados no campeonato português.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Na 2º Liga são os mesmos que decidem os jogos da agremiação

O Atlético vai solicitar uma reunião ao Conselho de Arbitragem da Federação Portugues de Futebol por entender que tem vindo ser prejudicado pelo trabalhos dos árbitros nomeados para os últimos jogos, no qual destaca Cosme Machado.

O árbitro do encontro disputado na quarta-feira (derrota por 3-2, em casa) é acusado de dualidade de critérios e de ter influenciado o resultado ao assinalar penálti "que só ele viu".

Deixamos agora a nota enviada às redações, assinada pelo diretor desportivo Admar Hipólito:

"O Atlético Clube de Portugal . Futebol SAD tem vindo a ser prejudicado nas arbitragens dos últimos jogos, como foi mais uma vez no jogo de ontem com o Benfica B, em que o Sr. Cosme Machado utilizou uma dualidade de critérios gritante na amostragem dos cartões amarelos, em que as faltas foram sempre apreciadas de forma diferente, alem disso marcou um penalty que só ele viu, e que influenciou o decurso do encontro, e consequentemente o resultado final.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

"Hoje, com os cartões amarelos, a dupla de centrais está fora do próximo jogo."

José Couceiro, treinador do Estoril Praia.

E com quem será o próximo jogo ? Não é preciso ser o Zandinga para adivinhar.

E para precaver, ainda nomeiam o Capela para o jogo.


terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

José Sá, Mika, ...

São tantos os exemplos...

O primeiro título nacional do Benfica foi extorquido ao Barreirense

Retirado do site do F. C. Barreirense e que denuncia mais uma manobra da agremiação corrupta para conquistar o seu primeiro título nacional.

Uma história feita de "manobras sujas" como esta que aqui é denunciada.

Reportamo-nos hoje à que no Barreiro foi a tão tristemente célebre temporada de 1929/30, quando ao Barreirensezinho foi simplesmente “rapado” o título de campeão nacional de futebol. Quase não dá para acreditar como a “coisa” se passou... (O que – como é óbvio – não se encontra devidamente reportado nos livros próprios, por ser - como tão amiúde se passa na política - “bastante incorrecto” escrever a verdade).

Os torneios máximos de futebol (em que o Benfica até então não se sagrara campeão!) eram disputados em eliminatórias, ainda não por pontos... Neste 1929/30, o Barreirense venceu o Distrital, levando a melhor no último encontro, em 22 Junho 1930, no Montijo, sobre o valoroso Vitória sadino por 3-0. Na final da relevante Taça Caridade, disputada em 2 Fev. 1930 no Campo Grande, o Barreirense superou à vontade o Sporting lisboeta por 5-1. (A tão bela Taça Caridade encontra-se em bem destacado posto no Salão de Honra do Ginásio-Sede). 
 
Seguiu-se o Campeonato Nacional, tendo o Barreirense afastado sucessivamente os Unidos do Barreiro, o Comércio e Indústria, o Luso F. C., o União de Coimbra, o Boavista, o Sporting de Espinho, e derrotado na meia-final (em duas partidas) o Belenenses, campeão de Lisboa (!). E, sem qualquer derrota ao longo da temporada (!), o F.C.B. vai defrontar as águias lisboetas na finalíssima do nono nacional do desporto-rei. Agora... Segundo o regulamento, essa partida deveria ser disputada em campo neutro. Mas a Associação de Futebol de Lisboa marcou o encontro para o ... Campo Grande, o terreno de jogos do ... Benfica. O benfiquista João de Oliveira (um dos dois irmãos “Bananeiras”) estava suspenso por, semanas antes, ter agredido um árbitro em jogo. À última da hora, este Oliveira foi ... “amnistiado” do seu castigo de oito meses (!) a fim de poder alinhar na final contra o Barreirense. E – o que foi o cúmulo – para árbitro foi designado Silvestre Rosmaninho, um dos sócios mais antigos do Benfica (!). Os protestos do Barreirense caíram em saco roto.  

Em 1999 entrevistámos para outro semanário o keeper do F. C. B., o nosso tão saudoso amigo Francisco Câmara. É dele a frase: “O primeiro título nacional do Benfica foi extorquido ao Barreirense”, que aqui repetimos. Chico bem se recordava ... Quanto ao jogo, Zé “Toupeira” inaugurou o marcador para os camarros. O Benfica empatou, num lance ilegal sancionado por Rosmaninho em que adversários empurraram Câmara para dentro da baliza antes da bola entrar! No prolongamento, o ... “amnistiado” João “Bananeira” marcou o segundo tento benfiquista. Com tal arbítrio os barreirenses baixaram os braços. Veio o 1-3 final. E Chico Câmara adiantou: “Passados uns anos leu-se que ... Silvestre Rosmaninho ... fora galardoado pelo seu clube com a Águia de Ouro”. O seu a seu dono. E o Barreirense não foi, nunca seria campeão nacional.  
 
Esta “derrota suja” ficou para sempre cravada na garganta de barreirenses. Sentimos o dever de lembrá-la agora, quando do centenário. Bem, hoje, o poder dos “grandes” da bola, não se processa tão às claras... É mais refinado... (Note-se que estas facetas inconcebíveis referentes à finalíssima do Nacional de 1929/30 não se encontram reportadas no óptimo livro “70 anos de Vida do Futebol Clube Barreirense”, de Rosa Figueiredo). 
 
Como treinador dos alvi-rubros continuava o insigne eng. Augusto Sabo (que em breve deverá ser incluído nos vinculadosaobarreiro.com). Jacinto Nicola Covacich encontrava-se à frente da Direcção do Clube. A Sede do F. C. B. ainda se situava no amplo primeiro andar do lado ocidental do Largo Casal. 
 
Nota: Em 1934, o F.C.B. atingiria, pela segunda vez, a final do Campeonato de Portugal, tendo sido derrotado por 3-4 contra o Sporting. Quase na conclusão do tempo regulamentar, os rubro-brancos remataram à trave. Foi azar... Houve prolongamento, no qual o avançado-centro sportinguista – natural do ... Barreiro! – enfiou a sua quarta e última bola na baliza de Chico Câmara. Ora bolas..., para sempre.

Em Espanha não há colinho


sábado, 21 de fevereiro de 2015

Desde pequenos habituados a fazer as coisas por outro lado

"Vantagem madeirense só ruiu no último dos seis minutos de compensação O Benfica empatou, esta sexta-feira, com o Nacional da Madeira a uma bola na primeira jornada da 2ª fase de apuramento do campeão de juniores. Os madeirenses adiantaram-se no marcador na sequência de um remate de fora da área protagonizado por Danísio e recolheram para o intervalo em vantagem. O Benfica procurou chegar à igualdade durante a segunda parte, mas só viria a conseguir introduzir a bola nas redes insulares no último dos seis minutos de compensação dados pelo árbitro do encontro."

Ainda há poucas semanas tentaram fazer o mesmo nos seniores ao prolongar o jogo por mais 7 minutos.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Outro jogador da agremiação acusado de violação

A semelhança do sucedido com Marc Zoro surge outro jogador com carreira na agremiação corrupta associado a um caso de violação.
Desta feita é Sancidino, que é acusado de ter violado uma mulher enquanto esta dormia.
Ele defende-se, dizendo que não sabe se ela tinha os olhos abertos ...

A professional footballer who allegedly raped a sleeping woman in Liverpool admitted that when they had sex he couldn’t see if her eyes were open.
Sancidinu Da Silva, 20, had only been staying in Merseyside for three or four days last summer ahead of a try-out with Scottish giants Celtic.
The Portuguese-speaking player is accused of raping a 24-year-old woman, before getting down on his hands and knees and begging for her forgiveness.
Liverpool Crown Court heard the woman went out with a friend in Liverpool on June 19 and spent the night drinking and “taking a little cocaine”.
Sarah Holt, prosecuting, said they left Tiki Joe’s in Slater Street and were waiting for a taxi at around 4am, when the woman recognised a promoter called Chris Banner.
She agreed to go back to his flat in Henry Street for a house party, but her friend left in a taxi.
There were two other men with him, who she described as black men – one tall and one short.
She said she was drunk and could not remember how they walked to the Printworks Apartments.
Miss Holt said in the flat the woman began kissing Mr Banner, which was “entirely consensual” before they went into a bedroom for a time. She later said she was “very tired” and wanted to sleep.
Miss Holt said: “The next thing she knew she woke up to find a black man on top of her having sexual intercourse with her. The Crown say this male was the defendant.
“She tried to push him off. She asked for Chris, but the man told her ‘it’s okay, I’m Chris’. She knew she was drunk, but she also knew she wasn’t so drunk that she confused this male with Chris.”
The woman then put her clothes on and shouted for Mr Banner.
Miss Holt said: “She was very upset and crying. She was also shouting. She left the bedroom and confronted the male who had sex with her. He didn’t speak English.”
Miss Holt said that Da Silva, who was helped in court by a Portuguese interpreter, then “repeatedly said sorry”.
The woman left the flat but he followed her outside onto the street.
Miss Holt said: “He kept shouting sorry and at one point got down on his hands and knees in front of her, again repeating that he was sorry.
“She slapped him in the face. This caused one of his earrings to fall out. She then ran off down the street to get help.”
A passerby called police who went to the apartment and viewed CCTV footage before spotting Da Silva and arresting him.
Miss Holt said: “He said that when Chris came out (of the bedroom) Chris told him the female had performed oral sex on him, and, according to the defendant, Chris then asked him if he wanted to have sex with the girl. The defendant said he would.”
He told officers that he had sex with her but didn’t understand why the woman was shouting.
Miss Holt said: “He accepted he apologised to her. He said he did this because his friends told him to.
“The defendant said that at no time did he speak to the female and never did she speak to him. He said she must have been awake because it was only five minutes between the other man leaving the bedroom. He admitted he couldn’t see whether her eyes were open or closed.
“He admitted initially she didn’t move but at one stage put her arms around his back, as if to hug him, and that at one stage she moved her leg.
“He thought the reason for her distress was that she had not liked the sexual intercourse.”
Miss Holt said it was for the jury to decide whether Da Silva took advantage of a drunk, young girl who had fallen asleep, and whether he did so “knowing full well she hadn’t given her consent”.
Da Silva, who gave his address as Vandyke Street, Toxteth, denies rape.